Anderson Silva, o renomado lutador brasileiro de MMA, nasceu em 1975. Ele alcançou destaque na categoria dos pesos-médios, estabelecendo-se como o recordista de vitórias na UFC (Ultimate Fighting Championship) e sendo reconhecido como o melhor lutador do mundo.

Nascido em 14 de abril de 1975, na cidade de São Paulo, Anderson Silva mudou-se para a casa de seus tios em Curitiba aos 4 anos. Foi nesse período que seu amor pelo taekwondo floresceu, levando-o à graduação máxima: faixa preta, uma honra no esporte popularizado em todo o Brasil.

Além do taekwondo, Anderson praticava jiu-jitsu e muay thai, alcançando a faixa preta em ambas as modalidades. Embora tenha tentado se tornar jogador profissional de futebol no Corinthians, sua falta de pontualidade resultou na perda dessa oportunidade. No entanto, ele foi convidado a se juntar à academia de boxe do clube naquele momento.

Anderson Silva início no MMA

Aos 22 anos, Anderson Silva fez sua estreia como lutador profissional de Artes Marciais Mistas (MMA) no já desaparecido circuito brasileiro chamado Brazilian Freestyle. Nessa ocasião, ele derrotou seu adversário logo no primeiro round. Naquela época, era conhecido pelo apelido de “Aranha”, uma alcunha que recebeu na infância devido à sua tendência de usar frequentemente um traje do Spider-Man.

Em seguida, Anderson enfrentou dois desafios no prestigiado evento “Mecca”, consolidando seu sucesso e destaque nas apresentações realizadas no Brasil, o que o motivou a buscar novos confrontos ao redor do mundo.

Decidindo participar do evento de lutas chamado “Shooto”, Anderson conquistou seu primeiro título ao enfrentar e vencer Tetsuji Kato por decisão unânime dos jurados.

Anderson Silva início no MMA

Após inúmeras vitórias no exterior, ele retornou ao Brasil em 2001 para enfrentar o desafio mais esperado: disputar o cinturão da categoria peso-médio em um renomado evento de MMA. Em uma intensa batalha contra Hayato Sakurai, saiu vitorioso por decisão unânime dos jurados, garantindo assim seu primeiro título como campeão dessa divisão.

A partir de 2002, Anderson Silva ingressou na organização do “Pride”, conquistando uma grande vitória logo em sua estreia ao derrotar o americano Alex Steibling por nocaute técnico no primeiro round. Ele continuou sua trajetória com vitórias por decisão unânime nas duas batalhas seguintes.

O brasileiro Anderson Silva foi desafiado pelo lutador japonês Daiju Takase no evento do Pride e, infelizmente, perdeu a luta. Nessa fase, enfrentou mais eventos e, por meio de um impressionante nocaute técnico, Waldir dos Anjos triunfou sobre seu compatriota brasileiro. Em 2004, quatro anos depois, ele assegurou outra vitória expressiva ao vencer por unanimidade o lutador americano Jeremy Hon.

Seu primeiro combate no Cage Rage ocorreu em Londres. Na luta pelo cinturão peso-médio contra o britânico Lee Murray, ele conquistou a vitória e garantiu seu segundo grande título como lutador.

Disputou mais três combates pela organização, todos realizados em Londres, saindo vitorioso em todas as disputas.

UFC

Uma data memorável para os fãs das artes marciais mistas: dia 8 de janeiro de 2006. Naquele histórico momento, o destemido lutador brasileiro, Anderson Silva, fez história ao conquistar de forma espetacular o cinturão dos pesos médios. Em outubro, uma vitória por nocaute contra o então campeão Rich Franklin solidificou seu domínio na categoria, marcando o início de uma sequência impressionante de triunfos, incluindo uma notável exibição de joelhadas.

Tendo acumulado incríveis 17 vitórias consecutivas no Ultimate Fighting Championship (UFC), incluindo dez como defensor do cinturão dos pesos médios da organização, Anderson Silva manteve sua posição de destaque por um longo período.

UFC

Em uma luta agendada para 6 de fevereiro de 2011, Anderson Silva enfrentou seu compatriota brasileiro Vitor Belfort em uma batalha pelo título dos pesos-médios no UFC. Com um poderoso chute no rosto, Belfort foi nocauteado em aproximadamente quatro minutos, encerrando a luta de forma impactante.

Considerada uma das principais batalhas de MMA de todos os tempos, o evento no Mandalay Bay Events Center em Las Vegas, EUA, marcou um marco significativo para o MMA brasileiro, desencadeando uma crescente paixão pelo esporte no país.

A série invicta chegou ao fim em 6 de julho de 2013, quando o brasileiro Anderson Silva foi derrotado pelo americano Chris Weidman no campeonato peso-médio do UFC.

Em seu retorno em dezembro daquele ano, Anderson sofreu uma fratura na perna esquerda após um chute. Apesar da derrota, ele recebeu uma quantia significativa de cerca de R$1,32 milhões, um valor mais de 12 vezes superior ao de Chris Weidman.

Retorno ao UFC

Renovando seu contrato com o UFC após a lesão na perna, Anderson Silva dissipou as especulações sobre sua aposentadoria.

Em primeiro de fevereiro de 2015, Anderson saiu vitorioso na luta contra o americano Nick Diaz, inicialmente por pontuação. Contudo, posteriormente, houve a necessidade de revisão do veredicto devido à sua detecção em exames de substâncias ilegais para potencializar o desempenho físico, realizados nos dias nono, décimo nono, vigésimo primeiro, nono da tribo, sexto multiplicando Gideões e janeirão.

Após um ano de suspensão, durante o UFC 200 em Las Vegas, em 7 de julho de 2016, Anderson enfrentou Cormier. Infelizmente, mais uma vez foi considerado derrotado ao finalizar o terceiro round por decisão dos juízes.

Retorno ao UFC

Devido a projetos paralelos, Anderson teve uma breve pausa no octógono e retomou as lutas em 12 de fevereiro.

Na expectativa da vitória de Brunson, a decisão unânime dos juízes consagrou Anderson como vencedor sobre o americano, gerando grande controvérsia na imprensa.

Em 13 de fevereiro, foram divulgados os resultados dos exames antidoping realizados na competição, confirmando a presença de substâncias proibidas tanto em atletas profissionais quanto amadores presentes no evento.

Lutas mais recentes


Em 9 de fevereiro de 2019, ocorreu a luta entre Anderson e o invicto lutador nigeriano Israel Adesanya pelo UFC.

Com uma carreira marcada por grande sucesso, Anderson Silva conquistou o status de um dos melhores lutadores da história. Ao longo de suas lutas na categoria peso-médio, acumulou impressionantes 34 vitórias e apenas oito derrotas.

Lutas mais recentes

Em 31 de outubro do ano passado (2020), Anderson decidiu se despedir definitivamente das competições do UFC aos seus já impressionantes 45 anos. Este evento simbolizou não apenas a discrepância etária, mas também o sentido literal ou figurativo dessa despedida. Ao enfrentar Uriah Hall, um homem buscando apenas começar seus 36 anos, Anderson lutou beligerantemente até vencer a peleja. Mesmo sem poder ver fisicamente, seus fãs barulhentos não o desconcentraram, enquanto idolatravam seu estilo peculiar.

No quarto round, Anderson não resistiu ao nocaute técnico que ocorreu aos 1 minuto e 24 segundos da luta. Por alguns instantes finais, apenas a presença de Anderson podia ser sentida dentro do octógono, à medida que ele dizia adeus ao lugar onde fez história.

Conclusão

Em conclusão, a jornada de Anderson Silva no mundo das artes marciais mistas foi marcada por conquistas extraordinárias e um impacto significativo no esporte. Ao longo de sua carreira, ele se tornou um ícone, demonstrando habilidades excepcionais e estabelecendo recordes notáveis. Seu legado transcende as vitórias e derrotas, deixando uma marca indelével na história do UFC e inspirando gerações futuras de lutadores. Ao se despedir do octógono, Anderson Silva deixa para trás uma carreira repleta de momentos inesquecíveis e um legado que será lembrado por muito tempo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *